CPOC Notícias

[2011-08-19] Campeonato do Mundo de Orientação - Resumo da final de distância longa


A final de distância longa realizou-se a 17/05 sendo a segunda disciplina a conhecer os campeões do Mundo de 2011. A final deste ano foi fisicamente difícil e tecnicamente um grande desafio às capacidades técnicas dos atletas – em suma, uma final a sério! Se não acreditam, estes dois casos que vos vou contar ocorridos na prova de ontem falam por si. Na final feminina uma das principais favoritas (para muitos a principal), a finlandesa Minna Kauppi desistiu. Lesionou-se? Sentiu-se mal? Não, pura e simplesmente andou cerca de 23 minutos à procura do primeiro ponto e não o encontrou...  O outro caso é o do nosso conhecido (foi 2º no Meeting de Gouveia) Olav Lundanes, que fora campeão do Mundo de Longa em 2010. Fez uma primeira parte do percurso muito boa e passou em lugar medalhável no ponto de espectadores. Depois, os 32º e a prova fisicamente arrasadora exauriram completamente os recursos físicos do atleta e foi-se arrastando até final não conseguindo correr à velocidade que certamente pretendia e caindo até ao 10º lugar...

Quanto aos resultados, nos femininos tivemos um duelo de suecas versus checas que resultou em mais um grande dia para a Selecção da Suécia. Realmente sem Simone Niggli e com as selecções finlandesas e norueguesas estranhamente enfraquecidas, a Suécia já obteve 5 das 6 medalhas já atribuídas no Mundial 2011! Ontem na Longa foi Annika Bilstam a sagrar-se pela primeira vez na sua carreira campeã do Mundo e a campeã Helena Jansson obteve a sua 2ª medalha nestes mundiais, depois da prata no sprint chegou ao bronze na longa. A medalha de prata ficou nas mãos de outra campeã do Mundo: a checa Dana Brozkova.

Nos masculinos ontem foi um dia histórico, pois o francês, melhor atleta do Mundo para muitos e que começou a sua época competitiva vencendo o Meeting de Gouveia, sagrou-se pela primeira vez campeão do Mundo de longa e passou a ser o único atleta do Mundo campeão das 3 especialidades (uma vez no sprint, seis na média e outra na longa). 

Depois de ver 3 franceses a triunfar um em cada série de apuramento aguardava-se com expectativa se os franceses conseguiriam fazer o pleno tal como o conseguiu a equipa feminina sueca ontem. Mas as enormes dificuldades do percurso, e as excelentes provas que atletas de outros países estavam a fazer, cedo afastaram essa ideia. O francês Gonon que já obtivera um 3º lugar em Mundiais precisamente na Longa voltou a repetir esse lugar. Mas logo no início da sua prova já perdera 6 minutos para o seu compatriota Gueorgiou pelo que, apesar de fazer algumas opções diferentes acabaram por ir quase sempre juntos. O francês "voador" dominou de princípio a fim nunca falhando muito e nunca cedendo fisicamente acabando com incríveis 4.27 de avanço sobre o 2º classificado. 2º classificado esse que deixou muitas bocas abertas de espanto! O finlandês Pasi Ikonen foi campeão do Mundo no início da carreira (creio que em 2001) e não mais voltou a repetir esse feito. Curiosamente já tinha estado em destaque nestes Mundiais mas pela negativa, uma vez que Ikonen falhou a presença na final de distância média perdendo o apuramento por 2 segundos. E ele que já noutros mundiais falhara devido ao calor, desta vez resistiu às condições climatéricas e fez uma prova fabulosa só sendo ultrapassado por Thierry Gueorgiou. 10 anos depois do seu título mundial, chegou desta vez ao 2º lugar. De assinalar ainda o 5º lugar do campeão do Mundo Hubmann, o 7º do terceiro francês Adamski e o 11º do russo Kratov ele que, até ao 12º ponto foi o único a ameaçar o domínio do Gueorgiou, mas uma má opção para o 13º ponto, relegou-o para fora do top10 a mais de 13 minutos do francês. Nota negativa para as duas selecções com mais historial no mundo da Orientação. A Suécia teve o sueco Bostrom em 6º, Holmberg em 19º e Andersson em 20º. A Noruega foi pior ainda... Os seus 4 representantes (o país que detém o título mundial tem direito a mais um atleta) foram: Lundanes (campeão do Mundo que estourou fisicamente) em 10º, Kaas em 15º e Weltzien e Nordberg desistiram.